Porque é difícil encontrar mulheres na Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática?

Robot01

Ultrapassar o fosso de género na ciência é vital para alcançar o desenvolvimento sustentável e cumprir a promessa da Agenda 2030 de “não deixar ninguém para trás”. Embora os campos relacionados com a ciência sejam críticos para as economias nacionais, a maioria dos países não alcançou a igualdade de género na Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática (STEM em inglês para Science, Technology, Engineering, and Mathematics).
robot03

Hoje, menos de 30% de investigadores em todo o mundo são mulheres. De acordo com os dados da UNESCO (2014-2016), apenas cerca de 30 por cento de todas as estudantes do sexo feminino selecionam os campos relacionados ao STEM no ensino superior. Globalmente, a matrícula de estudantes femininos é particularmente baixa em TIC (3 por cento), ciência natural, matemática e estatística (5 por cento) e na engenharia, fabricação e construção (8 por cento).

Estereótipos de longa data e estereótipos de género afastam as meninas e as mulheres dos campos relacionados com a ciência. Esses preconceitos estabelecidos bem cedo. Por exemplo, um estudo recente na revista Science mostrou que, aos 6 anos, as meninas já são menos propensas do que os meninos a descrever seu próprio género como “brilhante” e menos propensos a se juntar a uma atividade rotulada para “crianças muito, muito inteligentes”.

robot02

Outro estudo que investigou 9.500 meninas e jovens de 11 a 18 anos em nove países europeus revelou alguns fatos chocantes: na Finlândia, 62 por cento das adolescentes disseram que a ciência era um campo importante e, no entanto, apenas 37 por cento disseram que considerariam uma carreira nesse campo.

Tal como no mundo real, o mundo na televisão e cinema reflete vícios semelhantes – o estudo 2015 Gender Bias Without Borders, do Instituto Geena Davis, mostrou que, dos personagens em televisão ou cinema com um trabalho de STEM identificável, apenas 12% eram mulheres.
robot04

O futuro dos empregos é no campo da ciência e da tecnologia, com 90 por cento dos empregos futuros que requerem habilidades em TIC e cerca de 2 milhões de novos empregos esperados nos campos de computadores, matemática, e engenharia.

Cumprir a visão dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável requer soluções inovadoras alimentadas por ciência e tecnologia para uma variedade de questões, desde mudanças climáticas, saúde e infra-estrutura até o desenvolvimento econômico.

Para um futuro que beneficie as mulheres igualmente como homens, agora é o momento de esmagar o estereótipo de género e permitir que as meninas e mulheres acedam e se destaquem em ciência.

Informação retirada de http://www.unwomen.org/en/news/in-focus/international-day-of-women-and-girls-in-science

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *