Guias de Soutelo no Banco Alimentar, Correio do Minho

Vivem-se tempos duros, os mais difíceis dos últimos anos, mas isso não diminui o espírito solidário daqueles que vivem no distrito de Braga e que neste fim-de-semana demonstraram a sua solidariedade em mais uma campanha do Banco Alimentar Contra a Fome de Braga.
No distrito, os 3000 voluntários envolvidos nesta campanha estiveram no armazém do Banco Alimentar, em Palmeira, e também espalhados por 87 super e hipermercados onde a recolha foi efectuada.

As toneladas de alimentos recolhidas vão agora ser distribuídas pelas 100 instituições de solidariedade do distrito que o Banco Alimentar apoia e ajudar a matar a fome a 10.100.
Isabel Varanda, responsável pelo Banco Alimentar de Braga, ficou satisfeita com a forma como a campanha decorreu.

“As pessoas do distrito de Braga, apesar das dificuldades que sentem na sua vida diária, continuam a ser solidárias. No primeiro dia de campanha, por exemplo, fechámos o dia com 105 toneladas, o que representa um ligeira decréscimo, na ordem dos 4%, relativamente à campanha do ano passado. Atendendo às circunstâncias, foi muito bom”, confessou ao ‘Correio do Minho’, realçando que tem noção de que há muitas pessoas que até gostariam de contribuir e não podem e outras que fazem sacrifício para ajudar à causa. “Há quem diga aos voluntários que este ano não está em condições de contribuir, mas acaba por levar o saco e deixar alguma coisa. É um espírito solidário que chega a ser comovente”.

Guias de Soutelo são voluntárias

À semelhança das campanhas anteriores, a Companhia de Guias de Soutelo, Vila Verde, também participou nesta campanha de recolha de alimentos do Banco Alimentar de Braga. “No primeiro dia, estivemos no Pingo Doce de Vila Verde e notámos que as pessoas ajudam cada vez mais porque têm a noção de que é preciso ajudar o próximo. Muito ou pouco, praticamente toda a gente colabora”, conta Margarida Carvalho. Ontem, domingo, este grupo de Guias esteve no armazém do banco alimentar a ajudar a fazer a triagem a armazenamento dos bens doados pela população do distrito de Braga.

Luís Sousa fez a sua nona campanha

Foi no armazém do Banco Alimentar, em Palmeira, que encontrámos Luís Sousa, voluntário que participa nestas campanhas desde 2008. “É a minha nona campanha. Sou voluntário desde que o Banco Alimentar se instalou em Braga”, contou ao ‘CM’. Luís Sousa confessou que no primeiro dia sentiu alguma apreensão. “Ao final de manhã de sábado estávamos um pouco preocupados, porque as recolhas estavam longe do habitual, mas o que se passou foi que as pessoas optaram por ir às compras de tarde. Correu bem, registámos sensivelmente as mes-mas ofertas que na campanha do ano passado, com um ligeiro decréscimo que se justifica pelas circunstâncias que todos conhecem”.

In http://www.correiodominho.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *