A toca do Urso #8: Como explicar a aliens o que é ser Guia de Portugal? – parte 1

Em primeiro lugar, o que são estes aliens? São simplesmente todas as pessoas que nunca tiveram a oportunidade (prazer =D) de conhecer alguém que tenha sido Guia de Portugal ou que simplesmente não estão neste planeta/país. O título original deste post era Como explicar o que é ser Guia de Portugal ao teu namorado?

A primeira coisa que estes aliens terão que perceber é que ser Guia de Portugal não é um passatempo. Poderá a certa altura ser considerada uma atividade extracurricular quando ainda temos entre 6 e 14 anos, mas a partir daí começa a ser verdadeiramente um estilo de vida. De ter coragem de chamar a atenção de alguém que acabou de deitar lixo para o chão e dizer-lhe “Desculpe, deixou cair isto!”, ou então de já ter aqueles dias reservados para o acampamento de páscoa e de verão e dizer às amigas “Pessoal, vou fazer uma detox das tecnologias. Escusam de me ligar!”.

Mas uma das primeiras perguntas que nos fazem é: O que são as Guias de Portugal? Há a definição oficial e depois há a minha definição: É uma associação a que pertenço desde os 7 anos portanto logo desde cedo comecei a ficar endroninada por esta seita. E começar a aprender os mais curiosos procedimentos. Ou seja, logo desde nova aprendi o que era uma ata (na altura ainda se escrevia “acta”), porque era a secretária do meu ninho. O que é um ninho? Simples, um grupo de 4 a 6 avezinhas. O que são avezinhas? oh pah… vamos lá começar desde o início. O Ramo Avezinha é o grupo de raparigas na AGP (Associação Guias de Portugal) que tem entre 6 a 10 anos. Neste ramo, as raparigas, chamadas avezinhas, agrupam-se em ninhos. Ninhos são pequenos grupos em que cada rapariga (leia-se raparigas entre os 6 e os 10 anos) têm um cargo. Estes cargos são Avezinha-Mor, Ajudante da Avezinha-Mor, Secretária, Tesoureira, Guarda-Material e Animadora (podem haver algumas variações conforme as necessidades). Portanto, depois de algumas reuniões e da minha mãe confirmar que eu podia ser Guia de Portugal, lá fui responsabilizada pelo cargo de Secretária. Falemos da tarefas de cada cargo noutra altura.

Continuando com a minha definição. A AGP é uma associação que usa a educação não formal… O que é a educação não formal? Aqui vamos nós outra vez. Educação não formal é quando educamos/ensinamos algo de uma maneira divertida, normalmente através do jogo e não daquela forma chata de estar a ouvir uma pessoa num tom monocórdico. Portanto, a AGP educa usando jogos.

Educa? Mas não é para isso que servem os pais e a escola? Também, mas a AGP preocupa-se com o desenvolvimento global da rapariga quer a nível físico, inteletual, moral, espiritual e social, funcionando como um complemento à educação formal da criança. Ups, disse outra vez aquela palavra: RAPARIGA. Sim, isto significa que os membros da Associação Guias de Portugal são raparigas. Ah e tal, mas isso é discriminação. Só que não é… É apenas uma opção. Existem grupos juvenis mistos, masculinos e femininos. A AGP é uma associação juvenil feminina, ponto final.

Mais explicações para os aliens em breve. Para já fiquem com o Glossário.

2 thoughts on “A toca do Urso #8: Como explicar a aliens o que é ser Guia de Portugal? – parte 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *