A toca do Urso #11: Como explicar a aliens o que é ser Guia de Portugal? – parte 3

Antes de continuarem, por favor garantam que já leram as duas primeiras partes

Quando uma Guia de Portugal assina “Canhota”, não é de certeza de lenha a que ela se refere. “Canhota” é o cumprimento tipicamente guidista/escutista. E aqui está o porquê: ”

Durante o Verão de 1946, um jovem da África Ocidental (actual Namíbia) chamado Djabonar veio a Gilwell-Park, ao Campo Escola Internacional.

Esperava ele vir a ser, mais tarde, Comissário Adjunto da Costa do Ouro.

Quando o Chefe do Campo falava acerca da maneira de se cumprimentar com a mão esquerda, Djabonar contou-lhe como, aquando da queda de Kumassi, capital de Prempeh, rei do povo Ashanti e seu avô, um dos chefes veio ao encontro de Baden-Powell e estendeu-lhe a mão esquerda. B.P. apresentou-lhe a mão direita, mas o chefe disse:

-“Não! No meu país, ao mais bravo entre os bravos, cumprimenta-se com a mão esquerda”.

(Retirado daqui.)

Existem depois algumas variações como por exemplo “Canhota Apertada” e a minha preferida “Canhotamarelina”. =)

Bem, o básico está feito. =) Bem-vindos ao mundo guidista, queridos aliens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *